FERRAMENTAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES É TEMA DE PALESTRA NO SINDIMETAL/PR

4 3

Liderar pessoas com qualidade e eficiência faz parte da estratégia das empresas que buscam melhorar a sua produtividade, o ambiente de trabalho e, sobretudo, conquistar ainda mais a credibilidade do cliente. Por este motivo, qualquer assunto que esteja relacionado ao tema “desenvolvimento de líderes” tem uma grande procura pelos profissionais de RH, uma vez que esta habilidade está sendo exigida e considerada imprescindível dentro das organizações.

Para discutir o assunto, o SINDIMETAL/PR convidou a consultora de RH, Melissa Antonychyn e a diretora de educação corporativa da Algi, Maku de Almeida Möllmann, para ministrar palestra sobre o tema durante o encontro do Grupo de RH do SINDIMETAL/PR, realizado nesta quarta-feira (10), na sede do sindicato.

O principal enfoque da palestra foi mostrar a importância de trabalhar com líderes nos aspectos comportamentais, na relação e forma de comunicação com seus liderados e qual o resultado final nas ações desta relação gestor/equipe.
De acordo com as consultoras, o desenvolvimento de um líder começa bem antes dele entrar na organização onde atua.

“A primeira faculdade de gestão inicia na família. A maneira como as figuras parentais conduzem a família já vai indicando o estilo de gestão de um indivíduo. Se, por exemplo, no lar, o poder é compartilhado, ele poderá ser um gestor democrático. Por outro lado, se houver uma ditadura, ele aprende que o poder é dessa maneira”. Portanto, é no ambiente familiar que o indivíduo aprende a ser líder e gerir pessoas”, declara Melissa.

Maku complementou a explicação informando que o desenvolvimento de um líder se distribui em 4 habilidades: técnicas/cognitivas; emocionais; comunicação e sociais.

As habilidades técnicas/cognitivas consistem na capacidade de inferência, ou seja, o indivíduo é capaz de observar o ambiente e inferir nos acontecimentos. As habilidades emocionais respeitam 6 passos: autoconhecimento; autocontrole; automotivação; autoconfiança; conhecimento do outro e sociabilidade.

A comunicação passa necessariamente pela escuta ativa ou qualificada; capacidade de questionar; entendimento da linguagem colaborativa e pela leitura do não verbal. E as habilidades sociais consistem na ampliação da capacidade de adaptação, que se reflete na capacidade de reagir melhor às mudanças; desenvolvimento da capacidade de tolerância, e desenvolvimento da empatia que, segundo Maku, é função fundamental na gestão de pessoas.

“Se dentre todas essas habilidades você conseguir desenvolver apenas a conexão empática no indivíduo, você já terá um gestor de sucesso”, finaliza.